Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

A Meta, empresa proprietária do Facebook, Instagram e Whatsapp, está planejando fazer a maior demissão em massa da história da empresa. Segundo o Wall Street Journal, os funcionários serão comunicados ainda nesta semana e o corte pode atingir cerca de 10% dos funcionários.

O QUE SABEMOS. Segundo o WSJ, a Meta planeja reduzir sua força de trabalho, inclusive o setor de tecnologia. No final de setembro, a empresa reportou ter pouco mais de 87 mil funcionários em todo mundo. Em 18 anos de história, essa seria a primeira a primeira demissão em massa da Meta.

Ainda de acordo com o jornal, a Meta planeja avisar seus funcionários nesta quarta (9.nov), o que indicaria que as demissões ocorrerão em jan.23. A legislação trabalhista dos Estados Unidos exige que empresas avisem seus funcionários com 60 dias de antecedência antes de conduzirem demissões em massa.

É por conta dessa legislação que ex-funcionários do Twitter estão abrindo processos contra a empresa após as demissões na semana passada. O Twitter cortou cerca de 3.700 posições, depois que Elon Musk concluiu a compra da empresa por US$ 44 bilhões.

CRISE? Em out.22, a Meta anunciou uma queda de 50% nos seus lucros trimestrais. Na época, Marck Zuckerberg, CEO da Meta, anunciou um congelamento nas novas contratações, afirmando que a empresa “terminaria 2023 aproximadamente do mesmo tamanho, ou até mesmo um pouco menor”.

Reportagem Sofia Schurig
Edição Julianna Granjeia
DemissõesMetaFacebookInstagram
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.