'Freud, corre aqui': o futuro da dramaturgia está no TikTok e no Kwai

Compartilhe se você chorou.

Receba de graça a newsletter Garimpo


Foi um dos assuntos mais comentados do Twitter. Saiu no saquinho de lixo e no Prensadão da melted videos. Só no TikTok, plataforma original da publicação, já são mais de 8 milhões de visualizações. Tô falando deste vídeo do Lucas Mitzakoff:

@mitzakoff

Eu nunca esqueci aquelas palavras…

♬ som original - lucasmitzakoff

Ao ver o vídeo do Lucas, pensei imediatamente naquele clássico do Hitchcock (fica tranquilo, não vou dar spoiler de um filme de 62 anos atrás). OK, mentira: lembrei mesmo foi daqueles melodramas do Kwai, sobre os quais o Rodrigo Ortega, do G1, fez uma reportagem ótima.

À la Steve Buscemi, botei meu boné virado pra trás e pendurei o skate nas costas pra entrar no TikTok e investigar o restante da obra do Lucas. O estilo, de fato, remete aos melodramas do Kwai, mas com humor mais escrachado. A descrição que ele mesmo faz do seu trabalho é perfeita: "Se nenhum dos vídeos te causou alguma emoção, eu falhei."

Muita gente compartilhou o vídeo do Lucas dizendo "Freud, corre aqui" e variações. Por coincidência, foi a mesma coisa que escreveram (na melhor das hipóteses) sobre a homenagem de Dia de São Valentim que o Ciro Gomes publicou:

Mas como Sigmund Freud poderia correr aí ou lá? Se estivesse vivo, o pai da psicanálise teria 165 anos. Ou seja: se estivesse vivo, estaria morto, infelizmente. O jeito é contratar o Freud cover de Bruce, o artista. Faz o PIX 💰

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca