Muito WhatsApp e pouco TikTok: como a comunidade do Núcleo usa redes sociais

50 membros da comunidade do Núcleo responderam a uma enquete sobre frustrações, recompensas e dicas no uso de redes

No fim de 2021, perguntamos a nossos leitores como eles usam as redes sociais, quais suas frustrações e recompensas, qual a intensidade em cada aplicativo e quais dicas poderiam dar para outros leitores.

O resultado foi um projeto muito interessante, com 50 respostas e bastante plural, contando com jornalistas, designers, analistas de dados, massoterapeutas, dentistas, entre outros – além de boa parte da equipe do Núcleo, claro.

Alguns dados interessantes:

  • De uma maneira geral, nossa comunidade usa MUITO as redes sociais, com uma média de 4,6 de uma escala que vai de 1 (usa muito raramente) a 5 (usa muito frequentemente);
  • O WhatsApp é a rede mais usada, com pontuação de 4,8/5. Na sequência vem Twitter e Instagram, praticamente empatados;
  • Nossa comunidade ainda não adotou os hábitos da juventude: o TikTok é a rede menos usada, com pontuação de 1,2/5

COMO A COMUNIDADE DO NÚCLEO USA REDES SOCIAIS

Média simples de todas as respostas. Escala de 1 (usa muito raramente) a 5 (usa muito frequentemente)

medida pontuação
intensidade geral 4,6
facebook 1,8
twitter 4,0
instagram 3,9
tiktok 1,2
linkedin 1,9
whatsapp 4,8
telegram 2,4
*Considera 50 respostas de enquete realizada entre 19 de novembro e 8 dezembro de 2021

A arquiteta Helena Degres considera uma grande frustração das redes sociais o imenso tempo investido e "a seleção de conteúdos feita pelos algoritmos", ao passo que o designer Jonas Silva não gosta da "maneira como pessoas gostam de ostentar ou gerar conteúdo sem valor".

Para a massoterapeuta e depiladora Beatriz Menezes, uma recompensa das redes sociais é poder se informar, "já que não assisto televisão e coisas relacionadas ao meu trabalho."

Já a jornalista Gabriela Sá Pessoa recomenda um detox de aplicativos de redes sociais, deletando de tempos em tempos e limitando uso diário, a fim de evitar excessos.

Em termos de segurança, a empresária Priscila Müller é enfática: "Desconfie até da própria sombra, amor e senhas são coisas diferentes, verificação de duas etapas é vida e não existe almoço grátis, todo cuidado é pouco com ofertas gratuitas."

Esse projeto será atualizado periodicamente, se você quiser participar, preencha este formulário.

Veja abaixo as respostas, dicas e os dados de uso de redes sociais de cada respondente:

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca