Coronavírus: contratos sem licitação do Ministério da Saúde superam R$2,7 bilhões
Arte: Rodolfo Almeida

Principal gasto é com ventiladores pulmonares (R$1,6 bilhão), seguido de equipamentos de proteção individual (R$820 milhões)

Em caráter emergencial devido ao combate contra o coronavírus, o Ministério da Saúde já fechou contratos de mais de R$2,7 bilhões sem licitação para adquirir com rapidez equipamentos e serviços.

O Núcleo classificou os tipos de contratos disponibilizados no site do ministério e constatou que 60% do total (R$1,63 bilhão) foram destinados à aquisição de ventiladores pulmonares, ao passo que 30% (R$820 milhões) destinaram-se a equipamentos de proteção individual (EPIs), como máscaras, óculos de proteção e aventais para profissionais de saúde.

Apenas 0,2% foram destinados à compra de insumos, que vão desde reagentes para testes até álcool gel e materiais de laboratório.

tipo valor de contratos % do total
ventilador pulmonar R$ 1.634.622.900,00 59,6%
equipamentos de proteção individual (EPI) R$ 820.238.000,00 29,9%
serviço R$ 190.809.900,00 7,0%
equipamento de UTI R$ 89.655.600,00 3,3%
insumos R$ 5.497.322,39 0,2%
TOTAL R$ 2.740.823.722,39 100%

É importante porque...
  • Gastos sem licitação precisam ser observados com atenção, a fim de evitar irregularidades

  • Existe urgência com essas compras, à medida que o sistema de saúde precisa dos equipamentos e serviços para o combate à epidemia

Reportagem Sérgio Spagnuolo
Edição Alexandre Orrico
Arte Rodolfo Almeida

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca