Nas redes, bolha ligada a Lula discute economia enquanto bolsonaristas falam sobre família

Monitoramento das redes sociais revela a estratégia das campanhas de Lula (PT) e Bolsonaro (PL). #NúcleoNasEleições

No mês de julho, o assunto mais comentado na bolha virtual ligada ao candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, foi economia (13,5%), seguido de perto por corrupção (13,4%). Enquanto isso, a rede bolsonarista discutiu questões relativas à família (14,7%).

O levantamento é da plataforma Torabit, que monitora as redes sociais dos candidatos presidenciais, e revela, em números, as estratégias das duas principais campanhas presidenciais.


É importante porque...

Desde 2018, o presidente Jair Bolsonaro (PL) dá ênfase ao discuso sobre a tradicional família brasileira;

Na eleição deste ano, a campanha à reeleição repete o tom e tenta reverter a rejeição do eleitorado feminino;

Já a campanha petista explora temas econômicos, como a alta dos preços dos alimentos e a inflação.


Dos assuntos mais presentes na rede de Lula em julho, além de economia e corrupção, estão:

  • STF (Supremo Tribunal Federal);
  • assuntos internacionais;
  • e, por último, família.

Na bolha bolsonarista, depois de família, os assuntos mais comentados foram:

  • questões internacionais;
  • economia;
  • corrupção;
  • STF;
  • e deputados.
Gráfico Interativo

PRESENÇA DE ANITTA. Graças à presença de Anitta, Lula exibiu a maior taxa média de engajamento (9,15%) e foi o candidato que mais cresceu em número de menções por dia (62 mil menções/dia) em julho, segundo a Torabit.

O apoio da cantora e ataques bolsonaristas fizeram as menções em relação ao candidato petista e eleições presidenciais crescerem 36% de junho para julho, de acordo com o monitoramento.

As menções ao presidente Bolsonaro também aumentaram, de 19,4% em junho para 23% em julho.

Bolsonaro cresceu, também, em número de menções/dia, passando de 12 mil em junho para 22 mil em julho. O engajamento nas redes sociais do presidente também subiu (média de 7,02%), deixando-o em segundo lugar, atrás de Lula.

COMO FOI FEITO? Para a classificação, a plataforma Torabit analisou comentários de apoiadores, opositores, compartilhamentos, notícias e todo tipo de informação na web direcionada aos pré-candidatos à Presidência - levando em conta o contexto das pré-campanhas para a eleição de 2022.

Em julho, foram analisadas 2.885.846 menções que continham o nome dos possíveis candidatos juntamente com o tema "eleições de 2022".

Reportagem Julianna Granjeia
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca