Ex-funcionário acusa Twitter de negligenciar segurança na plataforma

Segundo Washington Post, ex-chefe de segurança alega que os servidores rodavam software desatualizado, que milhares de funcionários tinham acesso a dados sensíveis de usuários e que diretores ignoraram o combate ao spam

O ex-chefe de segurança do Twitter, Peiter Zatko, protocolou uma denúncia nos EUA acusando executivos da empresa de enganar órgãos de regulação e seu próprio conselho administrativo sobre o combate a hackers e a spam na plataforma.

As denúncias foram protocoladas junto à SEC (regulador do mercado de capitais nos EUA), ao Departamento de Justiça e à FTC (regulador de práticas comerciais nos EUA).

As informações foram obtidas pelo jornal norte-americano Washington Post.

O QUE ELE DISSE? Estas são as principais alegações de Zatko:

  • O Twitter violou um acordo com a FTC (Comissão Federal de Comércio dos EUA) ao alegar ter um plano de segurança sólido, enquanto metade dos seus servidores rodava software desatualizado e vulnerável;
  • Milhares de funcionários do Twitter tinham acesso a dados sensíveis da plataforma, o que possibilitou, em 2020, o hack de contas de usuários VIP como Barack Obama, Donald Trump e Elon Musk;
  • Em vez de concentrar esforços em reduzir o spam, a empresa priorizou o aumento do número de usuários. Diretores que bateram metas de crescimento e ignoraram o combate a conteúdo indesejado chegaram a receber pagamentos bônus de até US$ 10 milhões;
  • Como responsável pela segurança do Twitter, Zatko disse que seus alertas não eram ouvidos pelo então CEO, Jack Dorsey, que o contratou no final de 2020. Os dois tiveram apenas seis reuniões, nenhuma com mais de 30 minutos de duração e sempre com um Dorsey lacônico. Além disso, trocaram algumas poucas dezenas de mensagens de texto.

O QUE O TWITTER TEM A DIZER? Rebecca Hahn, porta-voz do Twitter, disse ao Post que as alegações estão "repletas de falsidades" e e que Zatko "parece estar querendo, de forma oportunista, prejudicar o Twitter, seus usuários e seus investidores" depois de ter sido demitido por "performance e liderança ruins".

MUSK VS TWITTER. As alegações de Zatko sobre negligência e falta de interesse da direção do Twitter em combater perfis falsos/de spam pode servir de munição para Elon Musk na guerra que ele trava para não (mais) comprar o Twitter por US$ 44 bilhões.

Musk alega que o Twitter falseia o total de contas falsas/de spam na plataforma — há anos a empresa afirma que o percentual de contas do tipo não passa de 5%. Até então, Musk não tinha subsídios robustos para sustentar a alegação.

Em mensagem a funcionários nesta terça-feira (23), o CEO do Twitter, Parag Agrawal, repetiu os principais pontos da resposta de Hahn e disse que "devemos continuar vendo mais manchetes nos próximos dias".

Por Rafael Capanema e Rodrigo Ghedin
Edição Sérgio Spagnuolo

Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca