TSE determina que redes removam vídeo de reunião de Bolsonaro com embaixadores

Ministro do TSE vê risco de "irreversibilidade do dano" à Justiça Eleitoral e dá 24h para remoção de vídeos.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou nesta quarta-feira (24.ago.22) que Facebook, Instagram, Google (com relação ao YouTube) e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) removam links que ainda contenham o vídeo da apresentação do Presidente Jair Bolsonaro a embaixadores, na qual ele mentiu sobre a segurança do sistema eleitoral brasileiro.

Na decisão, atendendo a uma liminar apresentada pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), o ministro Mauro Campbell Marques deu às redes sociais e à EBC 24h para que removam de maneira definitiva as postagens destacadas na decisão.

"Há risco evidente de irreversibilidade do dano causado ao representante e à própria Justiça Eleitoral, no que tange à confiabilidade do processo eleitoral, em razão da disseminação de informações falsas, relativamente ao sistema de votação e totalização de votos", escreveu Campbell Marques em sua decisão.

YouTube remove live de reunião de Bolsonaro com embaixadores
Decisão representa expansão da política da empresa, que agora passa a proibir também alegações sobre fraude eleitoral em 2014

INVESTIGAÇÕES. A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira, que instaurou notícia de fato, uma espécie de apuração preliminar, sobre a reunião com mais de 70 embaixadores na qual Bolsonaro voltou fez ataques contra as urnas eletrônicas. A informação é do jornal O Estado de S.Paulo.

Em 10.ago.22, a Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) já havia apresentado uma representação contra o presidente Bolsonaro junto ao TSE pela realização do encontro com os embaixadores, solicitando também que fossem removidos das redes sociais e de veículos de mídia 13 links que continham o vídeo da reunião, além da aplicação de uma multa contra Bolsonaro por propaganda eleitoral antecipada.

DERRUBADA DOIS: A transmissão da reunião com os embaixadores, que ocorreu em 18.jul.2022, foi removida do canal de Jair Bolsonaro pelo Youtube em 10.ago.2022, mais de 20 dias depois da reunião. A decisão de remover o conteúdo foi uma mudança de curso na política de Youtube, que inicialmente afirmou à Folha de S. Paulo que manteria o conteúdo no ar por não ver violação às políticas.

Pela política vigente do YT, ficam proibidos conteúdos que aleguem fraude eleitoral no pleito de 2018 e 2014.

Reportagem Laís Martins
Edição Julianna Granjeia

Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca