Menções ao TSE disparam em grupos de direita no Telegram

Pico de menções ocorre após medidas da Justiça Eleitoral para endurecer combate à desinformação #NúcleoNasEleições

As menções ao termo "TSE" atingiram um pico em grupos políticos no Telegram nesta quinta-feira (20.out) desde o início da campanha do segundo turno após o Tribunal Superior Eleitoral aprovar uma resolução mais dura no combate à desinformação.

A análise considerou cerca de 3.800 mensagens com menções ao TSE publicadas ou repassadas após o primeiro turno, em 2.out.2022, em 244 grupos monitorados pelo Núcleo Telegram, somando quase 7 milhões de inscritos.

Cerca de 1 a cada 3 menções ao TSE nesses grupos foi feita entre 18 e 20.out.2022.

Contexto. Desde o início da semana, o Tribunal adotou uma série de medidas que foram vistas por aliados e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) como censura – termo que também atingiu um pico nesta quinta-feira.

  • Na terça-feira, 18.out, decisão do ministro Benedito Gonçalves determinou que Youtube desmonetize canal do Brasil Paralelo e outros e intime o vereador Carlos Bolsonaro a prestar informações sobre suposta rede coordenada de desinformação. A decisão foi confirmada em plenário nesta quinta-feira (20.out).
  • Na quarta-feira, 19.out, o TSE obrigou a Jovem Pan a dar direito de resposta ao candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva por declarações consideradas distorcidas.
  • Nesta quinta-feira, 20.out, o Tribunal aprovou resolução que confere à corte mais autonomia no combate à desinformação durante o segundo turno, incluindo a remoção de conteúdos sem necessidade de provocação.
Texto Laís Martins
Edição e gráfico Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca