Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

O Twitter/X desativou um recurso que permitia aos usuários relatarem desinformação sobre eleições, o que levanta preocupações sobre a propagação de alegações falsas antes das eleições nos Estados Unidos e na Austrália.

Vale destacar que o Brasil está prestes a ter eleições para os conselhos tutelares neste final de semana.

Além de remover a ferramenta de denúncia, a empresa demitiu todos os funcionários do setor de integridade eleitoral.

ENTENDA. O recurso foi desativado em todas as regiões, exceto na União Europeia, onde a legislação atual exige que empresas de tecnologia combatam a desinformação política sob risco de banimento do bloco.

Os usuários ainda têm a opção de denunciar postagens em relação a uma série de outras questões, como promoção de violência ou discurso de ódio.

Elon Musk, dono da rede social, acredita que o recurso “Notas da Comunidade” da plataforma, que permite aos usuários contextualizarem posts para sinalizar conteúdo falso ou enganoso, é uma forma mais eficaz de verificar informações.

VALE SABER. Recentemente, um relatório da UE revelou que o Twitter foi a rede com maior incidência na propagação de desinformação russa.

Desinformação é tema do primeiro relatório do DSA da UE
A guerra na Ucrânia foi o tema mais frequente para propaganda e desinformação, mas as plataformas também relataram discurso de ódio em relação à migração, comunidades LBGTQ+ e à crise climática.
Grupos que glorificam ataques a escolas seguem com espaço no Twitter/X
Mesmo após Operação Escola Segura, parceria do Ministério da Justiça e da Polícia Federal, essas comunidades seguem ativas, aponta novo relatório
Texto Sofia Schurig
Edição Alexandre Orrico
Twitter/X
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.