Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Para não precisar lidar com as regulamentações da União Europeia sobre empresas de tecnologia, a Meta optou por lançar uma versão paga que permite o uso do Facebook e Instagram sem anúncios na região, além de interromper a exibição de anúncios para menores de 18 anos.

ENTENDA. A partir de nov.23, a Meta cobrará €9,99/mês na web e €12,99/mês em dispositivos móveis, mantendo as versões gratuitas dos aplicativos com anúncios.

Inicialmente, a assinatura se aplica a todos os perfis associados a um único usuário, com cobranças adicionais entrando em vigor a partir de março do próximo ano.

Um porta-voz da empresa informou ao Wall Street Journal que a interrupção da publicidade para os usuários menores de 18 anos começará em 6.nov.

POR QUÊ? Em jul.23, o Tribunal de Justiça da UE determinou que as plataformas devem oferecer um serviço alternativo por uma taxa apropriada.

O bloco também possui regulamentações rigorosas para o tratamento de dados de menores de idade, o que possivelmente contribuiu para a decisão da Meta.

Meta é multada em € 405 mi por expor dados de adolescentes
É a segunda maior multa já aplicada pela União Europeia por infrações à lei de proteção de dados pessoais.

NO PASSADO. Devido a incertezas relacionadas à conformidade do Threads, concorrente do Twitter/X, com a Lei de Mercados Digitais (DSA, na sigla original), que proíbe grandes empresas de tecnologia de compartilhar dados entre serviços, a Meta optou por não lançar o aplicativo na região.

A empresa está inclusive bloqueando o acesso ao Threads por meio de VPN para residentes da UE.

Threads tem 100 milhões de usuários mensais
O crescimento do Threads depende de questões regulatórias na Europa, onde o app está bloqueado mesmo por VPN

Via Wall Street Journal (em inglês)

Meta
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.