Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Apesar das promessas da Microsoft, Amazon e Google de defenderem seus clientes corporativos de processos legais, uma análise do Financial Times revela que as proteções legais se aplicam apenas ao uso de modelos desenvolvidos por ou sob supervisão direta dessas empresas.

TERMOS. Após crescentes preocupações de que detentores de direitos autorais de materiais usados para treinamento de IA podem processar terceiros, as três empresas começaram a prometer defesas legais a seus clientes de planos corporativos.

CALMA LÁ. O Financial Times descobriu que organizações que utilizam modelos independentes ou desenvolvidos por terceiros ainda podem enfrentar vulnerabilidades legais, conforme os termos legais desses acordos.

As indenizações aos clientes não cobrem modelos de terceiros, como os da startup Anthropic, apoiada pela Amazon e Google, ainda que as ferramentas estejam disponíveis nas plataformas de nuvem das empresas.

CASOS. Existem ao menos três grandes processos envolvendo violações de direitos autorais contra a OpenAI, fabricante do ChatGPT.

A startup não divulga detalhes sobre os dados usados em seu mais recente modelo, o GPT4, mas investigações sugerem que versões anteriores foram treinadas com dados da Wikipédia, reportagens e posts em redes sociais.

Via Financial Times (em inglês)

AmazonMicrosoftGoogleInteligência Artifical
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.