"The Walking Dead" existe no mundo dos insetos

Divulgadores científicos usaram as redes para explicar o fenômeno dos insetos zumbis, que existem de verdade e não vão te matar

O vídeo de um inseto que continuou “caminhando” mesmo sem uma porção de sua estrutura viralizou na internet e não demorou para aparecer gente fazendo analogia do inseto com um zumbi – e associarem as imagens com "The Walking Deads" no reino animal.

No entanto, é preciso darmos um passinho para trás.

Perfil de divulgação científica, a Elfa dos Insetos comentou o caso e explicou que, apesar do fenômeno "zumbilógico" ser possível na natureza, causado por um fungo da espécie Eryniopsis lampyridarum do gênero Cantharidae que parasita besouros, o que estamos vendo no vídeo é provavelmente um inseto que foi predado.

Isso porque existem algumas diferenças entre um inseto predado e um parasitado pelo fungo.

Mas como o inseto consegue se movimentar, mesmo após ter sido predado e perdido uma parte significativa da sua estrutura?

Segundo Lorenne Almeida, especialista em besouros, alguns insetos podem se movimentar por um período de tempo após a preda, caso seu sistema nervoso não tenha sido prejudicado.

Zumbis fora da ficção científica

Apesar de o vídeo viralizado não se tratar, de fato, de um tipo peculiar de parasitismo que torna seu hospedeiro um "zumbi", existem vários exemplos interessantíssimos desse fenômeno no mundo dos insetos.

A Liga de Zoologia e Biodiversidade da Universidade Federal de Goiás (UFG) fez um fio abordando alguns exemplos.

Segundo o perfil, o fungo do gênero Cordyceps é capaz de parasitar alguns insetos e, ao encontrar seu hospedeiro, ele começa a atuar sobre o sistema nervoso dele, causando alterações neurofisiológicas e comportamentais, induzindo a locomoção do inseto em áreas favoráveis para o fungo.

O Ciência Hoje também trouxe um fio muito interessante sobre insetos zumbis, abordando diferentes exemplos na natureza.

Um deles inclusive ganhou fama graças ao jogo The Last of Us (muito bom, recomendo).

Trata-se do Ophiocordyceps em que, no jogo, passaria a ser capaz de infectar humanos. Calma, isso não acontece na vida real, não.

A natureza e suas manifestações peculiares

Apesar de esse tipo de parasitismo parecer muito inusitado, a Liga de Zoologia e Biodiversidade da UFG nos lembra que ele pode ter um papel importante sobre os ecossistemas, porque pode ajudar a controlar a população de insetos abundantes nesses locais, permitindo uma coexistência equilibrada com outros insetos.

Se tu, assim como eu, é fã de ficção científica sobre zumbis, é possível que te interesse por esse post aqui feito pelo Ciência Hoje com vários exemplos de parasitas que "zumbificam" seus hospedeiros!



Faça parte da conversa

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca