Dados e reações dos canais desmonetizados pelo TSE

Alguns seguem publicando vídeos desinformativos, segundo dados do BotPonto, robozinho do Núcleo #NúcleoNasEleições

O BotPonto, robô do Núcleo que analisa vídeos com potencial desinformativo, encontrou dados interessantes sobre os quatro canais de YouTube que foram desmonetizados pelo TSE até 31 de outubro por terem conteúdos associados a desinformação eleitoral: Folha Política, Foco do Brasil, Brasil Paralelo e Dr. News.

Decisão do TSE devassa dezenas de perfis bolsonaristas
São 81 citados: 47 pessoas e o restante responsáveis por perfis, grupos e canais; Bolsonaros estão na lista

FOLHA POLÍTICA
Segundo o BotPonto, apenas em outubro, os três principais termos mencionados em vídeos no canal foram os ministros do STF Alexandre de Moraes, Luís Alberto Barroso e Edson Fachin. Moraes foi mencionado em 110 vídeos diferentes, Barroso em 108, enquanto Fachin em 102.

Apesar de a decisão do TSE, Folha Política segue publicando conteúdo desinformativo. Na quinta (20.out), vídeo novo no canal chama a decisão do tribunal de censura e diz o tribunal "persegue conservadores a pedido de partidos de extrema-esquerda”.

FOCO DO BRASIL
Em outubro, os termos mais mencionados pelo canal foram “ladrão” – possivelmente em referência pejorativa ao ex-presidente Lula —, “ideologia de gênero” e “fake news”. Apesar de não ter publicado nada novo desde a decisão, o canal retirou três vídeos do ar na quarta.

Pouco antes do segundo turno, o Núcleo mostrou que o Foco do Brasil foi um dos que repercutiram as pesquisas enviesadas do instituto Brasmarket. Anderson Rossi, apresentador do canal, já havia sido citado no inquérito do Superior Tribunal Federal sobre manifestações antidemocráticas contra o tribunal. Em dez.20, o youtuber disse ao Estadão ter acesso exclusivo as dependências do Palácio da Alvorada, em Brasília.

BRASIL PARALELO
O Brasil Paralelo retirou 6 vídeos de seu canal do YouTube, segundo um monitoramento da Novelo Data. E segundo dados do BotPonto, em outubro, o termo mais mencionado em vídeos do canal foi STF, com 36 menções, seguido pelo ministro Alexandre de Moraes, com 23 menções.

DR NEWS
Desde a decisão, o canal já publicou oito vídeos com temas políticos. Na quinta, o canal publicou um vídeo chamando as decisões do TSE de censura e uma “perseguição aos canais de direita que apoiam Jair Bolsonaro”.

Segundo o BotPonto, o ministro Alexandre de Moraes foi o termo mais mencionado pelo canal, aparecendo em 27 vídeos. Em seguida, “ideologia de gênero”, em 23.

Em outro vídeo publicado na quinta, o canal pergunta ao ouvinte se é “totalmente normal” que o TSE tenha aceito mais ações da campanha de Lula do que de Bolsonaro — dado verídico, mas apresentado fora de contexto. “Eles vão continuar ali impetrando ações para censurar o povo brasileiro”, fala o apresentador.

Edição Alexandre Orrico

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca