Meta presidirá consórcio de contraterrorismo online em 2023

O chamado GIFCT criou o protocolo de moderação usado por boa parte das principais empresas de tecnologia

A partir do próximo ano, a Meta será presidente do maior consórcio de contraterrorismo online, o Fórum Global da Internet para o Combate ao Terrorismo (GIFCT, na sigla em inglês), responsável por criar o “protocolo padrão” para moderar conteúdo extremista ou violento nas redes sociais.  

O fórum surgiu em 2017 e se popularizou em 2019, após o massacre de ChristChurch, Nova Zelândia, quando um assassino matou 51 pessoas enquanto transmitia o ato pelo Facebook.

Em seu site, o GIFCT diz que sua missão é “impedir que terroristas e extremistas violentos explorem plataformas digitais.”

PRESIDÊNCIA. Em um comunicado à imprensa publicado na terça (13.dez), a Meta anunciou que assumirá a presidência da organização sem fins lucrativos em janeiro de 2023.

O GIFCT é considerado a maior parceria da em relação à moderação de conteúdo e atualmente conta com 18 empresas parceiras. São elas:

  • Redes sociais: Meta (WhatsApp, Facebook e Instagram), Twitter, YouTube, Discord, LinkedIn, Pinterest e Tumblr.
  • Plataformas: Microsoft, Wordpress, Airbnb, Amazon, Mailchimp, JustPaste.it e Zoom.

PROTOCOLO. Ao mapear um vídeo ou foto que viola políticas de conteúdo violento, o protocolo cria uma impressão digital única daquela imagem. Essa impressão é compartilhada em um banco de dados conjunto entre as empresas parceiras, facilitando a moderação.

AÇÃO EM MASSA. A Meta também anunciou estar desenvolvendo uma ferramenta de código aberto do protocolo GIFCT para auxiliar empresas menores na moderação de conteúdo extremista, abuso sexual infantil e “qualquer outro que seja transgressor” as políticas de comunidade das empresas parceiras.

SERÁ? Além de se descrever como “pioneira” na criação de inteligências artificiais para moderação de conteúdo, a Meta também afirmou ter centenas de funcionários responsáveis por mapear e moderar conteúdo em suas redes. Em nov.22, mais de 11 mil funcionários foram demitidos após uma queda constante nos lucros da empresa.

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca