Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Desde a aquisição da empresa por Elon Musk em outubro de 2022, a receita mensal de anúncios nos Estados Unidos do Twitter/X registrou uma queda significativa de pelo menos 55% em relação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com dados de terceiros fornecidos à Reuters.

ENTENDA. A empresa tem enfrentado dificuldades para manter alguns anunciantes desde a aquisição, pois as marcas estão receosas com as rápidas mudanças, especialmente nas políticas de moderação de conteúdo na plataforma.

A receita de anúncios nos EUA diminuiu 78% em dez.22 em comparação com o mesmo mês do ano anterior, marcando a maior queda mensal desde a aquisição.

Em ago.23, a receita de anúncios teve uma queda de 60% em relação ao ano anterior, de acordo com a Reuters.

Twitter perdeu mais de 500 anunciantes com Musk, diz site
Informação teria sido passada por gerente do Twitter aos funcionários, segundo o site The Information.
Anunciantes largam Twitter após terem propagandas exibidas ao lado de conteúdo nazi
Anúncios de Adobe e Gilead Sciences, entre outras, tiveram foram expostos ao lado de um perfil que faz apologia ao nazismo, segundo a Media Matters

DA EMPRESA. A CEO da plataforma, Linda Yaccarino, está agendando uma reunião com os credores bancários que ajudaram a financiar a aquisição de Musk para apresentar os planos de negócios da empresa.

  • Em uma entrevista recente, Yaccarino afirmou que 1.500 marcas voltaram à plataforma e que 90% dos 100 maiores anunciantes retornaram;
  • Ela também mencionou a possibilidade de a rede se tornar lucrativa no início de 2024.

A CULPA? Quanto à queda na receita, Musk tem culpado ativistas por pressionarem os anunciantes a interromperem as publicidades na plataforma até que questões como antissemitismo e neonazismo sejam resolvidas.

Recentemente, ele atribuiu publicamente à Anti-Defamation League (ADL), uma ONG com mais de quarenta anos de atuação contra o antissemitismo, uma queda de 60% na receita de anúncios nos EUA, embora sem especificar o período. A entidade refutou as alegações e expressou sua disposição de anunciar na plataforma para transmitir sua mensagem de combate ao ódio.

Entenda a briga de Elon Musk com a ADL, uma entidade judaica
Durante o final de semana, Musk interagiu com perfis antissemitas pedindo o banimento da ONG, e a CEO Linda Yaccarino editou uma postagem condenando o antissemitismo após reunião com o diretor da ADL, que Musk agora ameaça processar.

Via Reuters (em inglês)

Texto Sofia Schurig
Edição Alexandre Orrico
Twitter/X
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.