Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters
⚠️
Essa nota foi corrigida.

A Brasil Paralelo não é mais a líder absoluta em anúncios de temas sociais, eleições ou política nas redes da Meta.

No último trimestre, a Ambev, o governo do Brasil e a Revista Oeste lideraram os gastos com anúncios nessas categorias, e deixaram a produtora de vídeos em quarto lugar no ranking, segundo dados da biblioteca de anúncios da plataforma.

Muitos dos anúncios da empresa de bebidas estão relacionados a assuntos de sustentabilidade, o que entra na categoria de "temas sociais" da plataforma e, consequentemente, nessa lista.

Top 10 de anunciantes de temas sociais e políticos na Meta de agosto a outubro (2023)

  1. Ambev - R$ 1,26 milhão
  2. Governo do Brasil (Secom/PR) - R$ 1,08 milhão
  3. Revista Oeste - R$ 1,02 milhão
  4. Brasil Paralelo - R$ 958 mil
  5. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - R$ 942 mil
  6. Comitê Internacional da Cruz Vermelha - R$ 544 mil
  7. Governo do Estado de São Paulo - R$ 499 mil
  8. Skol (Ambev) - R$ 422 mil
  9. Portal Concursos Preparatórios - R$ 407 mil
  10. Vale - R$ 385 mil

FREOU, PAROU, ACELEROU. Após a derrota de Jair Bolsonaro (PL) nas eleições do ano passado, a produtora de extrema direita reduziu seu investimento em anúncios políticos nas redes sociais.

  • No último trimestre de 2022 (outubro a dezembro), a Brasil Paralelo torrou R$ 3,53 milhões em anúncios na Meta, segundo dados coletados pelo Núcleo.
  • Já no primeiro trimestre de 2023 (janeiro a março), esses gastos caíram para um total de R$ 2,82 milhões, uma queda de 20%.
  • Em seguida, entre abril e junho deste ano, a produtora gastou por volta de R$ 611 mil na plataforma, uma redução dessa vez de 78%.
  • Depois da forte queda, a produtora retomou o investimento em marketing digital a partir da metade do ano, entre junho e julho.
  • Se considerado só o último mês de outubro, e não o trimestre inteiro, a produtora segue no posto de maior anunciante na Meta com R$ 368 mil gastos, seguida do BNDES, com R$ 315 mil.
💡
A Brasil Paralelo segue a maior anunciante brasileira de todos os tempos da Meta na categoria de temas sociais, eleições ou política, conforme a série histórica da plataforma iniciada em agosto de 2020. A produtora já injetou R$ 20,9 milhões na empresa. O segundo lugar na lista, o governo do Brasil, já gastou R$ 6,5 milhões nas redes de Mark Zuckerberg.

REALIDADE PARALELA. Em abril de 2022, o Núcleo mostrou que a produtora chegou a despejar R$ 1,3 milhão em anúncios na Meta apenas naquele mês. A tática agressiva no período eleitoral também foi reproduzida na propaganda política investida no Google.

Hoje, além da Meta, a produtora reduziu também seus gastos com anúncios no mecanismo de buscas. Após um pico de gastos em março, a Brasil Paralelo não retomou mais os níveis de investimentos do período eleitoral.

Brasil Paralelo gastou quase R$ 200 mil em anúncios políticos no Google em março deste ano, mas em seguida sossegou. Reprodução: Ads Transparency/Google

No início deste ano, também revelamos como funciona a máquina de marketing digital da plataforma na busca pelo topo das buscas do Google.


⚠️ Texto atualizado às 16h13 de 1º.nov.2023 para corrigir título e primeiros parágrafos, a fim de esclarecer que se tratam de anúncios de temas sociais, eleições e política, e não de anúncios em geral (que incluem produtos, serviços, etc.).

MetaGoogle
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.