Cultivo de cannabis para uso medicinal causou rebuliço no Twitter

Já existem evidências científicas de que a maconha medicinal traz benefícios para certas patologias, mas o tema ainda gera discussões.

Receba de graça a newsletter Polígono


No dia 14.jun e por unanimidade, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu a três brasileiros o direito de plantar Cannabis sativa (maconha) para fins medicinais. Mas nem todo mundo recebeu bem a notícia, principalmente após reportagem do Fantástico que serviu como deixa para críticas no Twitter e ajudou a levantar debates importantes sobre o tema, ainda rodeado de preconceitos.  

Um dos especialistas que comentou o uso da cannabis medicinal é o médico psiquiatra José Gallucci, que enxerga como problemática a falta de controle da dosagem dos compostos presentes na maconha – o canabidiol (CDB) e combinações do canabidiol com o THC (sigla para o tetrahidrocanabinol).

Segundo ele, o indivíduo também estaria se expondo a outros compostos sem comprovação do benefício para a condição de saúde.

Seu tweet levantou outras questões importantes, como a criminalização do cultivo de maconha (seja para a finalidade que for) e o que conseguimos reunir de evidências para seu uso medicinal.

Mariana Varella, jornalista e editora-chefe do Portal Drauzio Varella, levantou essa bola.

Também existem questões sociais envolvidas na decisão do STJ, como lembra Luís Fernando Tófoli, médico psiquiatra e professor da UNICAMP: "Pelo menos enquanto não for regulamentado o plantio em solo nacional para uso fitoterápico e o consequente barateamento de custos. O preço do CBD no Brasil - seja farmacêutico ou fitoterápico – é imoral".

A questão econômica é outro tema importante a ser debatido, pois tanto medicamentos voltados para essas condições patológicas quanto componentes da maconha medicinal que trariam benefícios para esses pacientes podem ser muito caros. Daí a importância da autorização do plantio e da própria produção do óleo de maconha, que contém o CDB, o THC e outros.

A antropóloga e doutoranda em saúde coletiva, Beatriz Klimeck, reforça essa discussão.

Rafael Lopes, físico e membro do Observatório COVID-19 Brasil, também participou da discussão, lembrando que podem existir questões políticas norteando as discussões quanto ao plantio propriamente dito.

Mas, afinal, existem evidência científicas de que a maconha medicinal traz benefícios?

O biomédico Lucas Zanandrez, do canal Olá Ciência, compilou alguns dados importantes sobre isso. Para algumas condições específicas, os cientistas já conseguiram reunir algumas evidências de benefício de alguns compostos presentes na maconha.

Com certeza estamos diante de um assunto que necessita de debate, e que existem muitas discussões dentro desse grande tópico: a criminalização do uso da planta, a realidade de muitos brasileiros quanto ao acesso a medicações importantes para sua saúde, a dificuldade que muitos cientistas enfrentam para fazer pesquisas com os componentes promissores de plantas como a maconha e o próprio financiamento desses estudos.

É um assunto que não pode ser tratado com polarização política e que precisa ser debatido de forma multidisciplinar, uma vez que impacta a sociedade de diferentes formas.

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca