Debate e "pintou um clima" aquecem redes sociais
Arte: Rodolfo Almeida

Vídeo em que Bolsonaro insinuou prostituição infantil e debate pautaram as redes no fim de semana #NúcleoNasEleições

O noticiário  político do fim de semana aqueceu as redes sociais. A menos de duas semanas do segundo turno, um vídeo em que o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) insinuou prostituição infantil após encontrar venezuelanas em projeto social pautou as redes até pouco antes do início do debate, na noite de domingo (16.out).

O ISP, índice criado pelo Núcleo para medir a temperatura das redes de políticos, chegou a 90, em uma escala de 0 a 100, durante o evento. O índice ficou menor do que a nota máxima (100) alcançada nos dias 28 e 29 de agosto, durante o primeiro debate presidencial na TV Bandeirantes seguidos de entrevistas de candidatos ao Jornal Nacional no primeiro turno das eleições.

Debates ferveram atividade de políticos nas redes sociais
O ISP, índice criado pelo Núcleo para medir a temperatura das redes de políticos, está em seu maior patamar sustentado desde o começo da série histórica, iniciada em abr.2021

COMO FOI O DEBATE NAS REDES

A repercussão do primeiro debate do segundo turno da corrida eleitoral à Presidência - realizado por Band, CNN, UOL, Folha de S.Paulo e TV Cultura - colou mais no Twitter do que nas outras redes sociais.

Segundo o Political Pulse BR, ferramenta do Núcleo que monitora os principais assuntos nas redes sociais de políticos, os cinco assuntos mais falados nas últimas 24 horas tinham relação com a declaração de Bolsonaro. Os termos mais usados foram: BOLSONARO PEDÓFILO, PEDÓFILO PERVERTIDO, PERVERTIDO TARADO, CRIANÇAS BOLSONARO e TARADO PEDOFILIA.

Gráfico Interativo

Monitoramento em tempo real do Twitter durante o debate apontou que das 20h (início do debate) à meia-noite, os temas mais comentadosna rede foram: corrupção, educação, economia, questão ambiental e violência.

De acordo com o Twitter, foi a primeira vez em que a questão ambiental chegou à lista dos cinco temas mais comentados na rede durante um debate. O tema entrou em pauta quando os dois candidatos foram questionados sobre o desmatamento na Amazônia.

Monitoramento Political Pulse BR/Núcleo Jornalismo

Entenda o que rolou

"Pintou um clima". Em entrevista ao podcast Paparazzo Rubro-Negro na sexta-feira (14.out), Bolsonaro disse que “pintou um clima” entre ele e meninas venezuelanas de 14 e 15 anos que, segundo ele, estavam “arrumadas para ganhar a vida”, uma insinuação de que elas estariam se prostituindo. O UOL falou com uma das venezuelanas, que afirmou que a casa abrigava uma ação social.

  • Nas redes, como mostrou o Garimpo, Bolsonaro foi chamado de asqueroso e pervertido, e usuários indagaram o que pais e mães de meninas nessa idade sentem quando uma pessoa de 67 anos, como é o caso de Bolsonaro, faz uma declaração dessas.

Munição para campanha adversária: A campanha de Lula viu uma janela de oportunidade e passou a usar o trecho do vídeo em que Bolsonaro fala que "pintou um clima" como munição. A declaração apareceu dentro de um vídeo de 30 segundos publicado nas redes de Lula.

Outros dois importantes nomes da campanha petista, a presidente nacional do partido Gleisi Hoffmann e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também publicaram sobre o vídeo em suas redes.

TSE reage: No domingo, pouco antes do início do debate, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Alexandre de Moraes concedeu uma liminar do PL que alegava que o PT estaria fazendo propaganda eleitoral irregular e tirando a declaração de Bolsonaro de contexto.

Moraes determinou a remoção do vídeo de todas as redes sociais e mencionou o post de Gleisi na decisão, afirmando que o post fazia "uso de recortes e encadeamentos inexistentes de falas gravemente descontextualizadas do Representante, com o intuito de induzir o eleitorado negativamente".

Youtube age: Mas o vídeo original da entrevista de Bolsonaro já havia sido removido pelo Youtube no meio da tarde de domingo por conter uma informação falsa sobre a COVID-19. Bolsonaro afirmou que nenhuma criança morreu de COVID no Brasil, o que não é verdade.

Anúncio da campanha de Bolsonaro impulsionado na plataforma Google/Reprodução

Pesou o clima. A declaração de Bolsonaro gerou preocupação para a campanha bolsonarista. Na madrugada de sábado para domingo, o presidente fez uma live em que acusou o PT de explorar sua declaração fora de contexto, mas ele próprio não esclareceu o porquê de ter usado "pintou um clima" e nem se levou sua preocupação sobre prostituição infantil às autoridades.

Também na calada da noite de sábado (15.out), a campanha impulsionou 3 anúncios 3 anúncios no Google com o título "Bolsonaro não é pedófilo". As peças custaram R$180 mil à campanha do presidente.

Grupos bolsonaristas de Telegram monitorados pelo Núcleo registraram 336 mensagens com a palavra "pedofilia", ultrapassando 1,4 milhão de visualizações. As menções tiveram um pico no sábado, somando pelo menos 649 mil visualizações. No domingo, a conversa perdeu um pouco de força, mas ainda assim registrou 331 mil visualizações.

  • Como comparação, o termo "petrolão", tema que foi foco de Bolsonaro no debate, apareceu em apenas 66 mensagens.

Reportagem Laís Martins e Julianna Granjeia
Arte Rodolfo Almeida
Edição Alexandre Orrico


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca