Vídeos golpistas continuam bombando no Facebook
Arte: Rodolfo Almeida

Vídeos compõem narrativa de incitação que resultou em violência de dia 8.jan; Meta disse no começo da semana que derrubaria vídeos do tipo

Vídeos de teor golpista – filmados dentro do acampamento bolsonarista em frente ao Quartel General do Exército em Brasília ou por youtubers de extrema-direita – continuam acumulando visualizações no Facebook, poucos dias após a Meta ter anunciado uma nova políticia para remover vídeos que glorificam os atos violentos de 8.jan.2023.

O Núcleo identificou, utilizando a ferramenta CrowdTangle, que 6 das 10 publicações com mais interações (exceto da imprensa) publicadas em português no Facebook nos últimos 30 dias têm teor golpista. O CT é uma ferramenta que pertence à própria Meta – logo, eles possuem acesso à mesma metodologia utilizada por nós.

Na segunda-feira (9.jan.2023) dia seguinte à invasão aos Três Poderes, em Brasília, a Meta designou os atos como "evento violador", o que implicaria na remoção de "conteúdos que apoiam ou exaltam essas ações".

Meta removerá conteúdo favorável a atos golpistas
Empresa designou atos golpistas em Brasília como “evento violador”, o que implica no bloqueio de conteúdos

Publicado às 15h07 do dia 8.jan, poucos minutos antes do cordão de segurança ser rompido, um vídeo mostra manifestantes já na rampa e em cima da marquise do Congresso. De fundo, é possível ver pessoas correndo em direção ao Congresso e se ouve uma pessoa dizendo: "Vamo para dentro, vamo para lá, vamo invadir". Esse vídeo, que continua disponível no FB, tem 429 mil visualizações.

Trecho de vídeo mostra bolsonaristas já no Congresso

Ao contrário deste, a maioria dos vídeos não exibem imagens da invasão ao Congresso, STF ou Palácio do Planalto. Mas são vídeos com milhares de visualizações publicanos nos dias anteriores à invasão e que incitam a ação de bolsonaristas.

Segundo a Meta informou na segunda-feira, antes mesmo de domingo o Brasil havia sido temporariamente designado como um país de "alto risco".

Os #FacebookPapers revelaram que a Meta categoriza países de acordo com o grau de risco de violência política e instabilidade social e investe recursos de segurança e moderação de acordo com essa escala. Segundo reportagem do Verge, no fim de 2019 o Brasil foi colocado no grupo zero junto de Índia e Estados Unidos - o grupo sob maior risco.

Há diversos vídeos filmados dentro do QG de Brasília, de onde saiu boa parte do grupo que invadiu os Três Poderes. Um dos vídeos, de 30.dez.2022, data em que o ex-presidente Jair Bolsonaro deixou o país, inflama a audiência – offline e dos bolsonaristas no QG – ao dizer que Bolsonaro teria deixado um "decreto" pronto na mão do General Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional.

"Quem governa o Brasil hoje são o General Heleno e o GSI e os comandantes das Forças Armadas. Agora, o presidente tocou a bola para eles", diz um homem que se identifica como Major Claudio Santa Cruz.

Um outro vídeo desta mesma página publicado em 1.jan.2023 mostra um indivíduo dizendo que "as informações são de que Lula não irá subir a rampa, não irá tomar posse".

Se antes esses vídeos eram peças soltas que mostravam o dia-a-dia no QG de Brasília, agora se tornaram evidências da narrativa embasada em desinformação que manteve bolsonaristas mobilizados e ajudou a incentivar os atos violentos e anti-democráticos do dia 8.jan.2023.

Lista de vídeos

O Núcleo optou por divulgar os links por questões de transparência e por entender que esses conteúdos já tiveram tração suficiente no passado, havendo pouco risco de ajudarmos a amplificar desinformação.

Links que não funcionarem podem ter sido derrubados.

Teor golpista Data Interações Link
SIM 2023-01-08 215.547 Link
NÃO 2022-12-14 165.385 Link
SIM 2022-12-14 148.283 Link
SIM 2023-01-06 142.175 Link
NÃO 2022-12-29 127.294 Link
SIM 2022-12-30 126.043 Link
SIM 2023-01-09 123.005 Link
NÃO 2022-12-28 120.981 Link
SIM 2023-01-01 120.140 Link
SIM 2023-01-09 106.135 Link

O Núcleo entrou em contato com a Meta por meio da assessoria de imprensa e enviou os questionamentos abaixo. Assim que houver um posicionamento da empresa, a matéria será atualizada.

  • O que a política da Meta diz sobre conteúdos como esses?
  • O que define, para a Meta, exatamente "incentivo" ou incitação?
Reportagem Laís Martins
Arte Rodolfo Almeida
Edição Sérgio Spagnuolo

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca