Quem é Javier Olivan, novo COO da Meta

Novo diretor de Operações da Meta terá um papel mais “tradicional de COO”.

Javier Olivan foi anunciado como novo diretor de Operações (COO) da Meta um dia após a saída de Sheryl Sandberg, que ocupou o cargo por 14 anos.

De acordo com Mark Zuckerberg, ele terá um papel mais “tradicional de COO”, “focado interna e operacionalmente”. O presidente da empresa anunciou a promoção em um post no Facebook. A tradução é do Núcleo:

“Javi se tornará nosso próximo Diretor de Operações, já que agora ele liderará nossos anúncios integrados e produtos comerciais, além de continuar liderando nossas equipes de infraestrutura, integridade, análise, marketing, desenvolvimento corporativo e crescimento. Mas este papel será diferente do que Sheryl tem feito. Será um papel mais tradicional de COO, onde Javi estará focado interna e operacionalmente construindo, com base no seu forte histórico, para tornar nossa execução mais eficiente e rigorosa”.

QUEM ELE É: Nascido em Sabiñánigo, pequena vila na Espanha, em 1977, Olivan trabalhou na Europa e Ásia antes de ir ao Vale do Silício.

O novo COO está há mais de 14 anos na empresa. Ocupou, entre 2007 e 2011, o cargo de chefe de crescimento internacional. De 2011 a 2018, foi vice-presidente de crescimento. Em seguida, se tornou diretor de crescimento, cargo que estava até o momento.

Em entrevista em 2010, disse ser o responsável pela expansão do Facebook em países como Índia, Rússia, Japão e Brasil.

“Extrovertidos e sociais por natureza, os latino-americanos abraçaram nosso site ao ponto de que em muitos lugares, Facebook é sinônimo de internet”, escreveu Olivan em 2015.

Ele também foi responsável pela compra do WhatsApp pelo Facebook, em 2014. Segundo um relatório da Câmara dos Deputados dos EUA em 2020, ele disse à gerência que o WhatsApp era ativamente mais usado do que o Facebook, observando que "literalmente todos" na Espanha o usavam.

DIFICULDADES: Segundo o The Verge, enquanto ações da Meta caem mais de 40% este ano, investidores estarão ainda mais atentos ao seu trabalho de marketing em um mundo de anúncios sem dados de usuários. A empresa também anda batalhando intensamente com o TikTok pela atenção dos jovens.

Além disso, Olivan herdará a tarefa de reerguer a imagem da empresa voltada ao metaverso após o escândalo do Facebook Papers, consórcio internacional do qual o Núcleo faz parte, criado para analisar documentos vazados por Frances Haugen, ex-gerente de produtos da equipe de integridade cívica da rede social.

Críticos dizem que a empresa buscou crescimento excessivo sem garantias contra desinformação e conteúdo nocivo, em geral.

Documentos vazados por Haugen mostraram que o Facebook colocava lucros sobre a segurança do usuário, e não possuía ferramentas adequadas para remover conteúdo em idiomas além do inglês.

Texto Sofia Schurig
Edição Julianna Granjeia

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca