No Twitter, políticos de esquerda crescem no jogo de influência com núcleo bolsonarista

Pesquisa inédita do Núcleo/IBPAD mostra que esquerda tem ganhado espaço de influência na rede social, mas bolsonaristas resistem

DESTAQUES

* Ranking de congressistas mais influentes possui 7 parlamentares de esquerda e 3 de direita

* Parlamentares homens são maioria no ranking

* Oposição ao governo apresenta variedade de perfis

Com mensagens e pautas fragmentadas, a influência política da esquerda nas redes sociais tem sido apontada, nos últimos anos, como uma grande desvantagem frente ao maquinário das campanhas de direita – desvantagem essa que pode ter até impacto eleitoral.

Mas um novo estudo sobre influência política no Twitter mostra que, em 2021, a esquerda conseguiu posicionar alguns de seus nomes mais tradicionais entre as principais vozes do Congresso na rede social, fazendo frente a alguns dos bolsonaristas mais ferrenhos e engajados.

O relatório Principais vozes do Congresso no Twitter em 2021, parceria entre o Núcleo e o IBPAD, mostra que 7 dos 10 principais influenciadores do Congresso – ou seja, senadores e deputados – são de partidos da esquerda política.


O ranking é uma combinação entre três métricas analisadas – Popularidade, Autoridade e Articulação – e, portanto, não possui ordenação crescente. São eles, em ordem alfabética:

Os nomes mais conhecidos do bolsonarismo no Congresso ocupam as outras 3 posições:


É importante porque...

Redes sociais terão um papel muito relevante nas eleições de 2022, e o crescimento de influência política pode ter impacto em campanhas políticas

Bolsonaristas continuam a todo vapor em sua máquina de influência, com os nomes mais fiéis ao governo Bolsonaro na liderança

Antes criticados pelo baixo apelo nas redes, políticos de esquerda têm mostrado capacidade de articulação


Os dez principais perfis políticos congressistas influenciadores do período foram selecionados levando em consideração os fatores de autoridade e articulação na rede, sendo popularidade o último critério de desempate.

Estes parlamentares aparecem em rede dividindo espaço com membros do Executivo, prováveis candidatos às eleições de 2022 e personalidades proeminentes na política – os quais foram pontualmente incluídos nos rankings abaixo quando pertinente.

Alertas via Twitter ou Telegram

Ranking de popularidade

Determinado pela quantidade de seguidores, esses perfis apresentam destaque em relação ao alcance de comunidade online no Twitter.

Nome Cargo
1 Romário (@RomarioOnze) Senador / Empresário
2 Eduardo Bolsonaro (@BolsonaroSP) Deputado Federal / Policial
3 Marcelo Freixo (@MarceloFreixo) Deputado Federal / Professor
4 Flávio Bolsonaro (@FlavioBolsonaro) Senador / Empresário
5 Carla Zambelli (@CarlaZambelli38) Deputada Federal / Escritora
6 José Serra (@joseserra_) Senador / Professor
7 Bia Kicis (@Biakicis) Deputada Federal/ Advogada / Ativista
8 Janaina Paschoal (@JanainaDoBrasil) Deputada Estadual / Advogada
9 Onyx Lorenzoni (@onyxlorenzoni) Deputado Federal/ Empresário
10 Gleisi Hoffmann (@gleisi) Deputada Federal / Advogada
11 Pastor Marco Feliciano (@marcofeliciano) Deputado Federal / Pastor
12 Kim Kataguiri (@KimKataguiri) Deputado Federal / Escritor
13 Luiz P. O. Bragança (@lpbragancabr) Deputado Federal / Administrador
14 Carlos Jordy (@carlosjordy) Deputado Federal
15 Arthur do Val - Mamaefalei (@arthurmoledoval) Deputado Estadual / Youtuber

Ranking de autoridade

Destacando-se em relação ao prestígio, esses perfis são referência em relação à divulgação dos conteúdos sobre política.

Nome Cargo
1 Alexandre Padilha (@padilhando) Deputado Federal / Professor
2 Gleisi Hoffmann (@gleisi) Deputada Federal / Advogada
3 Henrique Fontana (@HenriqueFontana) Deputado Federal / Médico
4 Paulo Pimenta (@DeputadoFederal) Deputado Federal / Jornalista
5 Zé Ricardo (@ZeRicardoAM) Deputado Federal / Economista
6 Enio Verri (@enioverri) Deputado Federal / Economista
7 José Guimarães (@guimaraes13PT) Deputado Federal / Advogado
8 Helder Salomão (@heldersalomao) Deputado Federal/ Professor
9 Vander Loubet (@vanderloubet) Deputado Federal/ Servidor Público
10 Randolfe Rodrigues (@randolfeap) Senador / Professor
11 Professora Rosa Neide (@prof_rosaneide) Deputada Federal/ Professora
12 Bohn Gass (@BohnGass) Deputado Federal / Agricultor
13 Dep. Frei Anastácio (@freianastaciopt) Deputado Federal / Padre
14 Carlos Veras (@carlosveraspt) Deputado Federal / Agricultor / Pecuarista
15 Zé Neto (@depzeneto) Deputado Federal / Advogado

Ranking de articulação

Avaliados pela capacidade de difusão de conteúdos, esses perfis têm maior capacidade de difundir as informações em nichos de audiência distintos.

Nome Cargo
1 Carla Zambelli (@CarlaZambelli38) Deputada Federal
2 Randolfe Rodrigues (@randolfeap) Senador / Professor
3 Eduardo Bolsonaro (@BolsonaroSP) Deputado Federal / Policial
4 Alexandre Padilha (@padilhando) Deputado Federal / Professor
5 Marcelo Freixo (@MarceloFreixo) Deputado Federal / Professor
6 Bia Kicis (@Biakicis) Deputada Federal/ Advogada
7 Alê SIlva (@alesilva_38) Deputada Federal / Advogada
8 Senador Alessandro Vieira (@Sen_Alessandro) Senador / Ex-delegado
9 Tabata Amaral (@tabataamaralsp) Deputada Federal / Cientista Política
10 Orlando Silva(@orlandosilva) Deputado Federal
11 Deputado Alencar (@AlencarBraga13) Deputado Federal / Advogado
12 Arthur Lira (@ArthurLira_) Deputado Federal / Empresário
13 Humberto Costa (@senadorhumberto) Senador / Médico
14 José Guimarães (@guimaraes13PT) Deputado Federal / Advogado
15 Natália Bonavides (@natbonavides) Deputada Federal / Advogada

OUTRAS ANÁLISES

NADA DE NOVO NO FRONT: O estudo identificou ainda que parlamentares homens – da esquerda, direita ou centro político – são a grande maioria quando se olha para a influência de congressistas nas redes sociais, independente do ponto em que estejam no espectro político.

O dado se confirma quando olhando para recortes (como parlamentares de direita ou parlamentares de esquerda) e aparece mais forte quando olhando para novas conexões entre parlamentares.

Parlamentares homens são:

  • 60% no ranking geral.
  • 60% no ranking de parlamentares de direita.
  • 60% no ranking de parlamentares da esquerda.
  • 90% no ranking de novas conexões entre parlamentares.
  • 80% no ranking de oposição e o apoio condicionado.

É um indicativo de que a influência nas redes reflete a composição do Congresso Nacional, onde a participação feminina limita-se a 15% das cadeiras.

Dentre as parlamentares femininas que se destacam nos rankings, há um equilíbrio entre vozes da extrema-direita, representada pelas deputadas Carla Zambelli (PL-SP) e Bia Kicis (PL-DF), e da esquerda, na figura das deputadas federais Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR).

DIREITA FERRENHA: Nas redes de direita, a família Bolsonaro, representada pelo presidente Jair Bolsonaro e seus filhos, tem uma dominância nas discussões que se dão entre parlamentares deste lado do espectro político.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), por exemplo, aparece dentre as três primeiras posições nos rankings de popularidade, autoridade e articulação.

Quem também aparece bem colocado são membros da base governista, como as já mencionadas deputadas federais Kicis e Zambelli, e nomes como do senador Marcos Rogério (PL-RO), a deputada federal Alê Silva e do deputado federal Onyx Lorenzoni (PL-RS).

OPOSIÇÃO EM CORO: O que engrossa o caldo da oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro é a pluralidade de vozes: tem gente da esquerda, da direita progressista e até mesmo ex-aliados do governo.  

Congressistas opositores como Marcelo Freixo (PSB), Fabiano Contarato (PT), e Randolfe Rodrigues (REDE), os dois últimos que se destacaram pela atuação na CPI da Pandemia, ocupam as melhores posições nos rankings da oposição.

BOLHA PETISTA: Parlamentares do PT predominam nos rankings de esquerda, ocupando as primeiras posições nos rankings de popularidade, autoridade e articulação. Dentre os parlamentares petistas, há desde figuras históricas como a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) até nomes mais novos, como o da também deputada federal Natália Bonavides (PT-RN).

O estudo indica ainda que congressistas petistas conversam muito entre si, mas mantém diálogo nas redes com outros nomes da oposição ligados, por exemplo, ao PSB, PCdoB e PSOL, o que os permite exercer essa influência mais forte nas redes da esquerda. Pela metodologia do estudo, parlamentares desses partidos foram agrupados em outro cluster, o de parlamentares da oposição e do apoio condicionado.

Como fizemos isso

O estudo foi produzido como uma parceria entre Núcleo e IBPAD. O Núcleo forneceu os dados a partir de sua ferramenta de monitoramento Monitor Nuclear, e o IBPAD rodou as análises.

A metodologia completa está no documento abaixo, que também possui todos os resultados da pesquisa.

ENTENDA AS MÉTRICAS

POPULARIDADE: Reflete o possível alcance de determinado perfil na rede. Diz respeito à quantidade de seguidores que um perfil possui naquele período.

AUTORIDADE: Demonstra quais são os perfis centrais na difusão de informações na rede e, por consequência, os mais respeitados e/ou com maior prestígio da rede.

ARTICULAÇÃO: Avalia quais perfis são a ponte entre diferentes grupos, com a maior capacidade de difundir suas mensagens na comunidade.

Por Sérgio Spagnuolo e Laís Martins
Edição Samira Menezes



Faça parte da conversa

Reações de apoiadores
carregando reações...

Apoie o Núcleo para publicar seu comentário, reagir à matéria e participar da conversa. Caso já seja apoiador ou apoiadora, faça login abaixo sem senha, usando apenas seu email.


Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca