O metaverso está vazando no mundo real

Você pode não gostar do metaverso, mas vai ter que aguentar os avatares feios da Meta aparecendo no Instagram e no WhatsApp.

Quer receber a Status, nossa newsletter semanal exclusiva sobre produtos nas redes sociais?
Apoie o Núcleo, custa só R$10
.

A Meta reuniu a imprensa na última quarta-feira (12.out) para falar de metaverso. Anunciou o novo óculos de realidade virtual Meta Quest Pro – que custa módicos US$ 1,5 mil (~R$8.000) –, uma parceria com a Microsoft, recursos para profissionais e, no que importa aqui, integrações do metaverso com suas outras propriedades.

Meta Quest Pro: capacete de realidade virtual da Meta que custa US$1.500

Em breve, será possível usar os avatares do Horizon Worlds (aqueles que ainda são feiões) no Instagram, Messenger e WhatsApp. Quem quiser, poderá trocar o próprio rosto pela sua versão “avatarizada” em videochamadas nesses aplicativos. E clipes do Horizon Worlds poderão ser compartilhados na forma de Reels.

A chamada de Amanda Silberling no TechCrunch resume um pouco o sentimento frio que dominou esses e outros anúncios feitos por Mark Zuckerberg em pessoa: “Ninguém pediu, mas você pode compartilhar vídeos do Horizon Worlds nos Reels do Instagram.”

A aposta no metaverso é de longo prazo. Zuck já deu diversas declarações dizendo que a sua visão desse mercado só deve estar pronta em 2030. O caminho até lá será difícil — para a Meta, que terá que lidar com a desconfiança e impaciência de Wall Street, e para nós, que teremos que aguentar ainda mais entulho indesejado nas redes da empresa.

BeReal

O BeReal segue em crescimento exponencial e, em setembro, o Brasil tomou a vice-liderança do Reino Unido no ranking de downloads. [Núcleo]

Facebook

Pouco mais de 400 aplicativos para Android e iOS serviam apenas para roubar senhas do Facebook. A categoria mais explorada era a de editores de imagens. Os apps maliciosos foram removidos das lojas. [Núcleo]

Começaram os testes para convidar colaboradores para a criação de Reels no Facebook. [@alex193a/Twitter]

Google

O Google explica o PAIR, seu novo sistema que segmenta anúncios a audiências, cruzando dados cedidos pelos usuários a bases distintas, sem recorrer a cookies de terceiros. [Google]

Instagram

Em mais uma tentativa de estimular a produção de Reels, o Instagram ensaia distribuir “conquistas” para quem produz esse tipo de conteúdo na plataforma. [@alex193a/Twitter]

Meta

Entre os dias 1º-7.nov, acontece a Creator Week, evento da Meta para criadores de conteúdo. O foco, este ano, deve ser nos criadores do Reels. [Meta]

TikTok

Uma parceria entre TikTok e Linktree permite que criadores coloquem seus vídeos do TikTok diretamente nos sites gerados pelo Linktree. [Núcleo]

Twitter

Começou um teste oficial do Twitter para permitir que comunidades hospedem “Spaces” (conversas em áudio). [@HiCommunities/Twitter]

Dicas do Twitter para campanhas e ações na plataforma durante a Copa do Mundo do Catar. [Twitter]

O Twitter está trabalhando em uma configuração global para definir quem pode mencioná-lo(a) em posts e respostas. [@wongmjane/Twitter]

Apenas nos EUA, por ora, o Twitter está testando a inclusão de links externos, mais destacados no perfil, para contas profissionais. [@TwitterBusiness/Twitter]

As novas figurinhas de emojis 3D do Twitter estão sendo usadas por algumas pessoas para a criação de colagens dentro do aplicativo. [SocialMediaToday]

WhatsApp

Elementos do recurso de edição de imagens apareceram em uma versão beta do WhatsApp para Android. Vem aí? [WABetaInfo]

YouTube

Com anos (décadas?) de atraso, o YouTube anunciou que vai adotar a metáfora de @nomes. Até 14 de novembro, todo mundo terá uma arroba para chamar de sua na plataforma. [Núcleo]

A página de estatísticas do aplicativo YouTube Studio ganhou uma repaginada. [@creatorinside/YouTube]

Outras

A Microsoft anunciou o Designer, espécie de clone do Canva super integrado às suas tecnologias e com um tempero extra: geração de imagens por inteligência artificial via DALL-E 2. [ZDnet]

Startups de metaverso, como Decentraland e The Sandbox, têm pouquíssimos usuários diários a despeito de valuations bilionários. Algo a ser considerado antes de abrir uma “loja no metaverso”. [Núcleo]

Veja nossas publicações abertas

Você se inscreveu no Núcleo Jornalismo
Legal ter você de volta! Seu login está feito.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Veja seu email para o link mágico de login. Não é preciso senha.
Por favor digite ao menos 3 caracteres 0 Resultados da busca