Cadastre-se gratuitamente nas nossas newsletters

Nessa semana, o WhatsApp anunciou novidades em enquetes e no encaminhamento de arquivos.

São recursos triviais, nada que vá revolucionar o mercado, mas a notícia ganha mais relevância quando nos afastamos um pouquinho para encará-la num contexto mais amplo.

Faz algum tempo que a Meta, dona do WhatsApp, intensificou os esforços no aplicativo. Se antes ele passava meses sem receber novos recursos, agora eles são lançados e testados em alta velocidade.

Ora são recursos menores, como os desta semana; ora são coisas grandes e vitais para o negócio, ou seja, para fazer o WhatsApp gerar receita, como os pagamentos dentro do app para pequenas empresas, liberados no início de abril.

Historicamente, o Telegram sempre teve a fama de pioneiro em apps de mensagens. É algo tão próprio dele que, hoje, existe uma espécie de cronograma para novas versões — pelo menos uma vez por mês o Telegram libera uma grande, cheia de novidades.

Além da necessidade de gerar retorno sobre o investimento pesado feito na compra do WhatsApp, em 2014, não seria estranho se essa nova abordagem em produto fosse uma reação da Meta à concorrência.

No Brasil, pesquisa do Mobile Time/Opinion Box de agosto de 2022 constatou que o Telegram está instalado em 65% dos celulares do país.

A diferença para os 99% do WhatsApp vem caindo ao longo do tempo. Em agosto de 2018, quando o WhatsApp já estava em 97% dos celulares brasileiros, o Telegram tinha apenas 15% de presença.

O calor sentido por WhatsApp também vem de outros lugares com potencial ainda inexplorado, como o Discord. Com ~150 milhões de usuários no mundo, o Discord borra as linhas que separam aplicativos de mensagens de redes sociais e inspira rivais.

As Comunidades do WhatsApp e os tópicos do Telegram, por exemplo, com salas temáticas englobando grupos maiores, bebem da originalidade do Discord.

A primeira versão do WhatsApp não tinha troca de mensagens. Era um aplicativo em que você definia um status e toda a sua lista de contatos podia lê-la. Talvez o WhatsApp de 2035, caso consiga se adaptar e continue existindo, seja muito diferente do de hoje.

BeReal

O BeReal lançou um diretório das “pessoas mais interessantes do mundo” (que usam o BeReal) batizado de RealPeople. [BeReal]

Bluesky

O Bluesky começa a sentir as dores de grandes plataformas sociais. Por exemplo, como lidar com “nudes”. [Núcleo]

Discord

O Discord vai mudar os nomes de usuários, que deixarão de ter os quatro dígitos para serem iguais aos de outras plataformas. [Discord]

Facebook

Novos controles nos reels permitem que o usuário sinalize melhor os tipos de conteúdo que gosta e os de que não gosta ao Facebook. [Meta]

Google

O Gmail agora tem selos de verificação para remetentes. Eles são baseados no padrão BIMI — é meio complicado e caro — e tem por objetivo o combate a fraudes. [Google Workspace Updates]

Instagram

O Instagram está testando, em alguns países, a inserção de músicas em carrosséis de fotos e naquele “Notas” da parte de mensagens. [The Verge]

Os anúncios de branded content do Instagram agora são “anúncios de parceiros” e ganharam novos formatos. [Instagram para Negócios]

Mastodon

O Mastodon mexeu no “onboarding” do seu aplicativo oficial para tentar ser menos confuso. Agora, por padrão o novo usuário cai na instância/servidor “oficial”. [Núcleo]

Meta

A Meta demonstrou novos formatos de anúncios baseados em realidade aumentada — agora disponíveis nos reels do Instagram e Facebook e stories do Facebook. [TechCrunch]

Reddit

O aplicativo oficial do Reddit ganhou novas opções de compartilhamento com apps externos, como Instagram e iMessage. [Reddit]

O Reddit está testando uma nova abordagem para canais de mensagens em torno de subreddits, desta vez algo mais parecido com o Discord. [r/reddit]

Dicas do Reddit para que pequenos negócios melhorem o desempenho dos anúncios na plataforma. [Reddit]

Snapchat

O My AI, contato de inteligência artificial do Snapchat, exibirá anúncios. [TechCrunch]

Twitter

A Automattic, dona do WordPress, anunciou que vai remover o Twitter das opções de compartilhamento automático. [Núcleo]

O Twitter está preparando uma nova visualização de vídeos e imagens nos perfis. [@ehikian/Twitter]

YouTube

Novidades para os canais: visual simplificado, recomendações de vídeos personalizadas para cada inscrito e ordenamento de vídeos do mais antigo para o mais recente. [@creatorinsider/YouTube]

A partir de 5 de junho, a carência para tentar novamente o ingresso no programa de parcerias do YouTube subirá de 30 para 90 dias a partir da terceira tentativa. [YouTube]

WhatsAppTelegramDiscordBeRealBlueskyFacebookGoogleInstagramMastodonMetaRedditSnapchatTwitter/XYouTube
Venha para o NúcleoHub, nossa comunidade no Discord.